Enfim, chegou o Natal!
Embora ele ainda tenha sido bastante aguardado, não parece ser o mesmo dos outros anos.
Talvez sejam as máscaras com que nos obrigamos a sair, ou os frascos de álcool em gel estrategicamente colocados às portas das lojas onde passamos para comprar as lembranças para aqueles a quem mais amamos.
As luzes coloridas marcaram presença, mas não foi com a mesma graça de sempre. Mas, quem haveria de culpá-las? Há uma certa escuridão sendo carregada no peito, causada pelo momento de incerteza que temos vivido.
Os abraços de Boas Festas foram drasticamente reduzidos, os brindes das confraternizações foram quase que dispensados e os amigos ocultos aguardarão o próximo ano para serem revelados. Mas, o Papai Noel deverá vir, ele não deixaria passar em branco.
E, muito embora as festas não poderão dar as caras nesse ano, ainda sim é Natal. Se não nos quintais, salas e cozinhas, que seja no coração.
Ainda sim, com todos os poréns e alguns porquês, é Natal. É tempo de renovar a fé e a esperança. Talvez o seja mais do que nunca, aliás. Precisamos disso para encerrar esse ano assombroso, que marcará para sempre nossos calendários.
Muitas famílias estarão trajadas de luto, pela ausência dos que lhes foram tirados; muitas mensagens e felicitações não serão enviadas porque os destinatários não estão mais entre nós. Neste Natal há a dor e a solidariedade pelos que não conseguiram escapar do mal que nos atingiu.
Mas, que haja também a gratidão pela vida de todos os que estão aqui, para contar essa história. A gratidão, aliás, é o elemento indispensável neste nosso novo modelo de Natal. Sejamos gratos pela vida, pelos obstáculos vencidos, pelos aprendizados que certamente vieram.
Seremos mais fortes depois desse ano, mais resistentes. Estaremos mais conscientes de que nada é eterno e que tudo deve ser valorizado, sobretudo a presença. Saibamos tirar proveito deste tempo novo e diferente, em que ficou evidente que existe saudade quando não se está mais por perto.
Celebremos a vida! Festejemos a vitória, após esses meses de batalha contra inimigos invisíveis. Comemoremos a dádiva de ter direito a mais esse 25 de dezembro.
Neste Natal todos nós ganhamos um grande presente, chamado RECOMEÇO.

Então, Feliz Natal!
Feliz Recomeço!

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS