A adolescente Adrieny Teixeira conquistou a medalha de ouro de matemática na China.
Foi a primeira viagem internacional dela que é estudante do 9º ano do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro.

Moradora de Vicente Carvalho, na zona norte, ela foi a única brasileira da categoria a ganhar um ouro na World Mathematics Team Championship, Olimpíada Internacional de Matemática, realizada na capital chinesa, Pequim, entre os dias 21 e 25 deste mês, com provas individuais, de revezamento e em grupo.

Por ter completado 15 anos há apenas dois meses, Adrieny teve que competir junto com estudantes do ensino médio, já que a competição dividia os competidores por idade, e não por série escolar.

Além de Adrieny, todos os dezoito alunos das unidades Centro e São Cristóvão que participaram foram premiados.

A ficha da jovem só caiu quando ela viu sua mãe do outro lado do portão de desembarque do Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) nesta terça-feira, 26.

“A prova foi de um nível muito elevado, mas eu me esforcei, me dediquei e cheguei lá. Eu consegui um bom resultado, meus amigos também, então a gente trouxe um bom resultado para o Brasil”, afirmou Adrieny, muito tímida.

Os estudantes tiveram até 40 minutos para resolver os problemas matemáticos de diferentes graus de dificuldade. Além disso, era preciso saber inglês ou chinês, já que as questões estavam nestes idiomas.

Além da medalha de ouro, a equipe brasileira trouxe na bagagem: três pratas, sete bronzes e sete menções honrosas.

A competição contou com 1.100 atletas do Brasil, China, Austrália, Filipinas, Malásia e Bulgária, sendo 164 brasileiros de 11 estados, acompanhados de 60 professores.

Brigadeiros

E não foi apenas estudar. A equipe teve que batalhar para conseguir dinheiro para a viagem. E deu certo!

Em abril, os estudantes brasileiros tiveram um ótimo desempenho na Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras e foram convidados para representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Matemática da Ásia (AIMO) em Taiwan.

Mas, por falta de verba, eles não tiveram como participar da disputa, mas não desistiram e correram atrás do dinheiro.

Durante a campanha para arrecadar o dinheiro necessário para a viagem, os jovens venderam palhas italianas, brigadeiros e bolos, sempre na companhia dos pais.

Além disso, eles criaram uma vaquinha virtual que arrecadou R$ 14.845 na web. Os estudantes também receberam como doação uma camisa assinada pelo treinador e ex-jogador de vôlei Bernardinho, com a qual fizeram uma rifa. Outra forma de conseguir o dinheiro foi dar aulas particulares a colegas de classe.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS